As Leis da Mente – A Mente é um Ímã…

No Livro 発展思考, Hatten Shikou, ou Philosophy Of Progress, que significa em português ” A Filosofia do Progresso “, o Mestre Ryuuho Okawa nos fala sobre as Leis da Mente.

A Ciência da Felicidade tem como objetivo explorar atitudes que tragam a felicidade às pessoas.

Assim, em nosso Instituto da Ciência de Felicidade, a Mente é objeto de estudo e pesquisa.

Todas as Mentes são governadas individualmente por certas Leis do Universo.

Apesar de termos personalidades diferentes, termos nascidos em famílias diferentes, sermos únicos neste universo, tais Leis regem igualmente a todas as mentes.

Isto revela a verdade de que somos regidos pela Mente de um único Ser Superior, Deus.

Pelo fato de Deus existir é possível a todas as mentes de seres vivendo separadamente possam serem regidas igualmente por um conjunto de Leis Universais.

Por muitos anos o Mestre Okawa estudou e pesquisou profundamente sobre os estados da Mente e que tipos de pensamentos podem levar as pessoas à felicidade ou à infelicidade.

O Mestre Okawa chegou a uma simples e convicente conclusão:

“A MENTE HUMANA É COMO UM ÍMÃ, QUE ATRAI AS COISAS DEVIDO AO SEU PODER MAGNÉTICO”

Se a força dos pensamentos que preenchem a mente está em harmonia com a felicidade, o resultado será a atração da felicidade e o desencadeamento de vários acontecimentos que geram a felicidade.

Mas, se ao contrário, a mente estiver preenchida de pensamentos negativos e está em desarmonia com as coisas, a consequência será a atração de infelicidades e o desencadeamento de acontecimetos que geram infelicidade e tristezas.

Não existem exceções para essas Leis, explica o Mestre Okawa.

Detalhando mais essa lei, da mesma forma que um poderoso ímã atrai para si as limalhas de ferro, a mente atrai felicidade para aqueles que desejam felicidade para os outros. Para o contrário também é verdade, pois atrai infelicidades para aqueles que desejam a infelicidade dos outros.

Dessa forma, a felicidade nunca será atraída por aqueles que desejam a felicidade de si próprio às custas da infelicidade alheia. Isto é, quem se aproveita e explora os outros para se tornar feliz, nunca verdadeiramente será feliz e atraíra infortúnios para si.

Esta lei é um fato !

Muitos insistem que podem conseguir tudo com a mente e que não concordam que aqueles que desejam felicidades para os outros possam ser felizes e aqueles que desejam atrair a felicidade para si próprio não consigam.

 O Mestre Okawa esclarece que não se trata de fazer os outros felizes através do nosso sacrifício pessoal, abrindo mão de nossa  felicidade. Mas nos esforçamos para proporcionarmos a felicidade às pessoas.

Ele afirma que o caminho mais rápido e eficiente para obtermos a verdadeira felicidade é através do nosso esforço em levar a felicidade às pessoas.

Aqueles que lutam para serem felizes e procuram somente a própria felicidade (por estarem agindo de forma egoísta) estão criando com a sua mente o oposto do que estão procurando.

Esse não é o verdadeiro caminho para a felicidade, sendo uma forma incorreta de interpretar a verdade.

“O CAMINHO PARA A FELICIDADE É DESEJAR A FELICIDADE PARA OS OUTROS”

O Universo é preenchido por uma energia criadora e magnificiente, invísivel aos nossos olhos.

A Energia Universal  é o poder que se movimenta para proporcionar o desenvolvimento e evolução deste mundo (pois esta é a vontade de Buda)  e nunca pára de trazer a felicidade às pessoas.

 Estes são os ensinamentos que constam do capítulo 4, A Mente que Atrai Felicidade, do Livro A Filosofia do Progresso, escrito pelo Mestre Ryuuho Okawa.

————————————————————————–

Comentários:

Me lembro que a primeira e a segunda palestra que ouvi, quando entrei para a Ciência da Felicidade, abordavam os temas Prosperidade e Riqueza, que poderiam ser atraídas pela nossa mente.

Não é errado nos tornarmos ricos. Não é errado termos muito dinheiro. Somos todos filhos de Buda e por natureza temos o direito de possuir tudo o que precisamos. Tudo nos será dado conforme o nosso pensamento e nosso esforço, desde que necessário e no momento exato.

Mas, se desejamos ser milionários para satisfazer somente os nossos desejos egoísticos, estamos gerando energia contrária ao movimento esperado pela Energia Universal.

Devemos, antes de tudo, almejar proporcionar a felicidade aos outros.

Se formos milionários e estivermos trabalhando para proporcionar a felicidade e o desenvolvimento das pessoas, estaremos contribuindo para a melhoria deste mundo. Nesse caso, estaremos dando longa vida para a nossa riqueza material. Mas, se ao contrário, formos ricos e não estivermos contribuindo com a felicidade alheia, não estivermos sendo útil à sociedade, pensarmos somente em nós, estaremos fazendo com que essa riqueza se dissipe logo. É como se estivessemos gastando dinheiro e tempo em coisas incorretas.

Lembre-se, a riqueza material não pode ser o FIM ou o OBJETIVO. Ela não pode ser levada para a outra vida. A única coisa que podemos levar para a outra vida é a nossa mente, nosso pensamento. Então, a riqueza deve ser usada para proporcionar a felicidade das outras pessoas, objetivando construir uma sociedade melhor, ajudando a levar a verdade a essas pessoas.  

O dinheiro em si não é pecado. Pecado é quando usamos incorretamente o dinheiro. O dinheiro é um instrumento idealizado por Buda para proporcionar a felicidade às pessoas e não gerar apego, tristezas, ingratidão, brigas, inveja, exploração, inimizades, etc, etc.

A riqueza é um instrumento de manifestação do universo para o bem das pessoas.

Devemos ter a humildade de compreender que Buda se expressa através de nós. Ao recebermos dinheiro devemos procurar ver que, talvez, esse dinheiro não seja somente para a gente. Muitas vezes estamos numa posição em que muitas pessoas dependem de nossas ações, trabalho e esforço. Deus envia recursos através de nós, que devemos fazer chegar às demais pessoas de uma forma construtiva.

Se estamos almejando ganhar mais dinheiro, mas estamos tentando passar a perna nos outros, enganando, explorando, ursupando e pisando nas pessoas, certamente falharemos. Ainda que pareça que tivemos sucesso, isso será temporário e na hora certa se inverterá. O sucesso verdadeiro e permanente é aquele em que geramos o bem e a felicidade para as pessoas.

Tudo isso é consequência do que está em nossa Mente, o bom ou o mal uso do dinheiro depende do nosso nível de conhecimento da Verdade. O uso correto depende de Sabedoria. 

No Novo Testamento consta que Jesus disse: “Primeiro procure a Verdade (Divina) e tudo lhe será dado por acréscimo.”

Cuidado com os desejos para não se tornar escravo deles e perder a alma.

Reverências….