Auto-Reflexão – Removendo a Ferrugem da Mente

No livro Kokoro no Chousen (心の挑戦), que em português significa “O Desafio da Mente”, o Mestre Ryuho Okawa ensina que:

1 – Precisamos nos desfazer das vibrações negativas acumuladas no dia a dia para conseguir acalmar a nossa mente. Somente após remover a ferrugem mental conseguiremos calma suficiente para poder meditar.

2 – É primordial a remoção das impurezas da mente, acumuladas em decorrencia da forma errônea de se pensar, tais como atos de egoísmo, inveja, raiva, ódio e stress, antes de tentarmos acessar o nosso subconsciente. Ao se abrir a porta do nosso subsconciente, já devemos ter purificado a mente previamente.

3 – A falta de purificação da mente antes de entrar numa meditação abre a possibilidade de espíritos negativos se aproveitarem para se infiltrarem em nossa mente.

4 – Para não ficarmos sujeitos à influências espirituais negativas, devemos corrigir nosso estado mental, examinando cada um de nossos atos e pensamentos.

5 – Devemos fazer reflexão diariamente, examinando como passamos o dia, perguntando-nos o seguinte:

5.1 -Como foi o dia de hoje ? Bom ou ruim ? Por quê ?

5.2 – Desde que nos levantamos pela manhã, que tipo de pensamentos passaram pela minha cabeça ? Esses pensamentos estavam corretos ?

5.3 – Desejei mal para alguém ou tive algum pensamento negativo ou malicioso em relação a alguém ?

5.4 –  Fiz alguma coisa errada ou que tenha prejudicado outras pessoas ?

5.6 – Pratiquei alguma ação reprovável no dia de hoje ?

6 – Após ir extraíndo os pensamentos negativos de nossa mente, através de perguntas como a acima, devemos assumir humildemente a culpa de tê-los cometido, perdoando-se e comprometendo-se a não repetir o mesmo erro.

7 – Se você teve pensamentos prejudicais em relação a alguém, reconheça e sinta-se arrependido, corrigindo doravante a sua forma de pensar.

8 – É importante reconhecer o erro e comprometer-se a nunca mais repetí-lo.

9 – Após examinar sobre o dia que tivemos, volte pouco a pouco no tempo e analise o que ocorreu no passado. Uma semana antes, um mês, um ano e, finalmente, desde a infância. Gradativamente ir fortalecendo o hábito de avaliar o passado.

10 – Os pensamentos e atos cometidos por nós devem ser comparados com a  Verdade. Isto é, deverão ser confrontados com os ensinamentos obtidos na Ciência da Felicidade, de forma a reconher se eles estão corretos ou não.

11 – Analisar até que ponto nos esforçamos em colaborar com as atividades à nossa volta.

12 – Avaliar o quanto que evoluímos espiritualmente à Luz da Verdade Búdica, ensinada na Ciência da Felicidade.

13 – Perguntar se cumprimos com a nossa obrigação, nossa missão.

14 – Verificar se estamos agradecendo a Deus por tudo que recebemos a cada momento;

15 – Analise todos os dias de sua vida, retrocedendo grativamente, até chegar ao período da infância;

16 – Verificar se os nossos problemas foram resolvidos e o que fizemos para melhorar;

17 – Para facilitar, procure visualizar todos os seus atos e pensamentos, projetando em nossa mente o filme mental, como se estivesse no cinema, dos fatos experiênciados.

18 – Se ao se arrepender surgirem lágrimas nos olhos, deixe-as rolar sem interrompê-las, pois servirão para lavar a nossa mente e o nosso coração, removendo definitivamente a ferrugem e liberando o brilho verdadeiro.

Reverências…