O controle da natalidade vai contra o desejo de Deus? (Parte 2)

O controle da natalidade vai contra o desejo de Deus?

As verdades espirituais sobre gravidez e aborto (Parte 2)

Muitos países, principalmente aqueles cuja parte da população enfrentam grande pobreza, estão aprovando leis que permitem aborto ou que provêm recursos governamentais  para contraceptivos, além de oferecer educação sexual nas escolas, apesar da forte oposição da Igreja Católica Romana.

Esse tipo de legislação visa ajudar as mulheres de classes mais pobres a ter acesso a pílulas anticoncepcionais e outras formas contraceptivas que normalmente vão além daquelas mantidas nos centros de saúde e clínicas comunitárias pelos governos locais e pelo clero.

As altas taxas de natalidade em nações mais pobres, cuja 80% da população é católica, afirmam que esse tipo lei visa reduzir os sofrimentos da pobreza, dizendo proteger os direitos das mulheres, reduzindo a mortalidade materna e à superpopulação, e a falta de controle da natalidade.

Opositores desse tipo de lei, principalmente do clero católico, dizem que a contracepção é semelhante ao aborto.

No entanto, para saber por que a contracepção é permitida, mas o aborto é proibido, é importante entender o lado espiritual de como funciona o mecanismo de gravidez e os efeitos causados pelos abortos.

Para nos conceder orientação em relação a que tipo de medidas são aceitáveis para a contracepção na luta contra a pobreza, estamos apresentando os ensinamentos do Mestre Ryuho Okawa sobre as questões de gravidez e aborto.

Numa sessão de Perguntas e Respostas, o Mestre Okawa nos forneceu respostas fundamentais sobre esse assunto.  No entanto, é importante observar que o que segue é apenas uma pequena parte do ensinamento do Mestre concedido nas  palestras sobre esse assunto.

Questão 2:

O que aqueles que desejam ter um filho precisam saber?

Resposta do Mestre Ryuho Okawa:

As crianças nascem porque planejam viver.

O corpo de uma criança pode ser pequeno, mas é uma alma adulta que vive dentro desse pequenino corpo.

As almas dos pais e da criança que está para nascer possuem uma conexão prévia, mesmo sendo almas separadas.

É importante que ter conhecimento do fato de que as crianças nascidas neste mundo planejaram viver e encontrar felicidade para si mesmas.

Por favor, evitem o aborto

A primeira coisa que gostaria de lhes orientar é que, dentro do possível, por favor, procurem evitar o aborto.

Como disse antes, após o terceiro mês de gravidez, uma alma se instala definitivamente dentro do corpo do feto. Esta alma que habita o feto possui a intenção de se aprimorar ao longo da vida na Terra.

Por isso, um aborto arruinaria sua honrosa missão de viver e evoluir.

No entanto, muitas vezes, as pobres almas que se tornaram vítimas de aborto, não conseguem encontrar o caminho de volta para o outro mundo e acabam se perdendo na Terra.

Em tais casos, elas passam a vagar sem rumo. Mesmo que encontrem o caminho de volta para o outro mundo, pode demorar até vinte anos para recuperarem sua forma original como almas.

Assim, em casos de aborto, os planos honrosos de se polir e evoluir são definitivamente interrompidos.

Todos os anos quase 1 milhão de mulheres interrompem suas gravidezes. Isso causa grandes danos ao ciclo de reencarnação, pois as crianças que estavam por nascer, fizeram um plano cuidadosamente elaborado.

Tais abortos causam outros efeitos, tornando-se uma das razões pelas quais muitos homens e mulheres não conseguem se casar, pois a alma para a qual havia feito a promessa de se unir em casamento na próxima vida não poderá ser cumprida.

Havia uma promessa entre duas almas de se unirem na próxima vida na Terra, mas uma delas se tornou vítima de aborto, impedindo essa realização. Por exemplo, a alma do futuro marido, pode nascer cinco anos antes da alma que deveria ser a esposa, mas esta segunda se torna vítima de aborto, fazendo com que o futuro marido perca a sua esposa que seria a ideal para si, antes mesmo dela nascer. Esse tipo de incidente tem consequências terríveis.

Por favor, estejam conscientes de que o aborto é uma das razões pela qual muitas pessoas nunca conseguem se casar, e também a razão pela qual mais e mais casais são impossibilitados de terem filhos juntos.

Ao máximo possível, por favor, evitem o aborto.

No entanto, não se pode negar que há muitas circunstâncias infelizes sob as quais o aborto poderia ser tolerado.

Se as pessoas estão sofrendo graves dificuldades financeiras, em que não poderão sustentar e educar o filho, por exemplo, ou se a gravidez coloca a vida da mãe em risco, ou se a concepção tem origem em uma ação criminosa,  talvez seja tolerável o aborto.

No entanto, se a um casal, que se amam um ao outro, é concedida a honra de ter um filho, acredito fortemente que eles deveriam se esforçar para dar a esse filho o direito de viver, criando essa criança com amor.

(“Como encontrar a felicidade”, Capítulo 5: Criar filhos é maravilhoso!)